Para-Suicídio

            O suicídio é o ato intencional de matar a si mesmo, isso todos nós sabemos. Ele pode acontecer em decorrência de transtornos psicológicos como a depressão ou esquizofrenia, por dificuldades emocionais, financeiras ou até por crenças religiosas. Em muitas das vezes, a intenção da pessoa é acabar com a dor e não necessariamente deixar de viver, é aí que entra o para-suicídio, termo importante que é pouco discutido.

O QUE É

Para-suicídioCarlos Braz Saraiva, Psiquiatra com diversos estudos na área, explica que o suicídio engloba diversos outros termos. Um deles é o para-suicídio, que são atitudes suicidas em que a intenção real não é dar fim à vida. Ou seja, são comportamentos arriscados ou a procura pelo perigo sem intenção de morte, mas que colocam a vida da pessoa em risco.

            A principal diferença do suicídio para o para-suicídio é a intencionalidade. Enquanto o suicídio é o ato com intenção de morrer, o para-suicídio é o ato de arriscar a vida sem intenção real de morrer, mas sim alcançar modificações mais imediatas.

OBS: É importante esclarecer que não estamos falando da tentativa de suicídio, que é a tentativa de dar cabo a vida sem sucesso.

 

MAS O QUE PODE SER CONSIDERADO PARA-SUICÍDIO?

O para-suicida arrisca sua vida através de comportamentos autodestrutivos ou de risco com consciência de que aquilo o está colocando em risco. Um exemplo de para-suicídio é o abuso excessivo de álcool, cigarro ou drogas ilícitas mesmo com o conhecimento de que essa ação está prejudicando a saúde. Também conduzir em excesso de velocidade ou com irresponsabilidade, não utilizar o cinto de segurança de forma proposital, dirigir na contra mão ou sob efeito de álcool e drogas, manter atividades sexuais descontroladas e com relações de risco, alterar súbita e intensamente de peso e etc.

 

QUAL A FINALIDADE DESSES ATOS?drugs-2-1539945

            Como já dito anteriormente, o para-suicida não tem intenção clara de morrer, sua intenção é lidar de forma imediata e real com o problema. Ou seja, pode querer de forma
inconsciente alertar sobre sua necessidade de ajuda ou ser a forma de encontrou de pedir ajuda. Pode também ser a maneira de aliviar temporariamente os sentimentos de dor com os quais vem lidando.

 

O QUE FAZER?

            Devemos ter em mente que por mais que a intenção do para-suicida não seja a de morrer, isso pode vir a ocorrer, pois o indivíduo está se colocando em risco. Além disso, a situação pode evoluir para um suicídio concreto, então é essencial prestar suporte a essa pessoa em sofrimento.

roads-1-1526036O mais importante nesses casos é apoiar a pessoa e incentivá-la a procurar ajuda profissional, existem diversos serviços particulares e gratuitos por todo o país. Familiares e amigos devem se mostrar compreensivos e dar apoio intenso ao acometido. Além disso, a lealdade pode ser colocada à prova. O doente pode em segredo contar a alguém que deseja morrer, a pessoa deve então contar aos familiares e/ou procurar ajudar profissional para auxiliar a pessoa em sofrimento.

Por último devemos deixar claro aqui que o suicídio, o para-suicídio, a tentativa de suicídio ou até mesmo a automutilação NÃO SÃO “atitudes para chamar atenção” como às vezes é dito. Pelo contrário, são expressões de um sofrimento intenso que devem ser respeitadas e levadas muito a sério.

 

REFERÊNCIAS

Carlos Braz Saraiva, Estudos sobre o para-suicídio – o que leva os jovens a espreitar a morte, editora redhorse, 2006.

Counseling Chicago University 

Gonçalves, A.; Freitas, P.; Sequeira, C.; Comportamentos Suicidários em Estudantes do Ensino Superior: Factores de Risco e de Protecção. Millenium, v. 40, p.149‐159, 2011.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario