Vozes alucinatórias são assustadoras nos EUA e brincalhonas na Índia

Que algumas pessoas ouvem vozes todo mundo sabe. Mas o que não paramos para pensar é: Será que essas vozes tem as mesmas características?

Deficientes visuais e pessoas com pouco tempo para leitura (e qualquer outra pessoa que quiser) podem ouvir o áudio do texto no player abaixo.

O QUE SÃO ALUCINAÇÕES

Alucinações são basicamente percepções sem estímulo. Ou seja, a pessoa tem uma percepção bastante real que é produzida por sua mente, pois não há nenhum estímulo externo que cause aquilo. É, em outras palavras, ver, ouvir ou sentir algo que não existe. Existem diferentes tipos de alucinação: visuais são aquelas em que o indivíduo enxerga algo que não está lá, olfativa é quando ele sente um cheiro ou até mesmo sabor sem nenhum estímulo externo, as táteis podem se manifestar como frio, calor, dor ou pressão e há também as auditivas, que é sobre a qual vamos conversar hoje.

As alucinações auditivas no geral são vozes que podem ou não ser dirigidas ao indivíduo que as vivencia. Um tipo de alucinação auditiva bastante famosa é o canto das sereias, que chamavam os homens para o fundo do mar. Mas você sabia que essas vozes mudam de acordo com a cultura?

Estudos apontam que pacientes esquizofrênicos dos EUA que ouviam vozes alucinatórias, diziam que elas eram bastante duras e ameaçadoras. Enquanto os pacientes nas mesmas condições na índia relatavam que as vozes eram brincalhonas. Outro estudo foi feito entre pacientes da Arábia Saudita e Reino Unido. O conteúdo das alucinações dos entrevistados da Arábia Saudita era de natureza supersticiosa e religiosa enquanto o conteúdo apresentado pelas alucinações auditivas dos entrevistados do Reino Unido aparecia com temas de instruções ou comentários de corridas e esportes.

Outros estudos conduzidos mostram ainda que os pacientes de ambas as culturas – Arábia Saudita e Reino Unido – tinham métodos de enfrentamento para lidar com suas condições, mas eles também diferem.  A maioria dos entrevistados do primeiro país usavam estratégias religiosas enquanto os do Reino Unido utilizavam-se de métodos de distração.

Mas isso faz algum sentido?

Quadro "The Mermaid and the Satyr" em que as vozes da sereia convidam sua vítima ao fundo do mar

Quadro “The Mermaid and the Satyr” em que as vozes da sereia convidam sua vítima ao fundo do mar

Depois de pensarmos sobre isso pode parecer até obvio: a alucinação é uma criação da mente e usa dos artifícios conhecidos pela mente do indivíduo em questão. Por isso, a cultura e o ambiente em que a pessoa está inserida influenciam naquilo que ela irá ver ou ouvir, por ser aquilo que ela – e sua mente – conhece e acredita.

Esses estudos nos levam a um fato bastante importante: Os profissionais da saúde que lidam com pacientes alucinatórios precisam estar a par da cultura e ambiente social em que esse vive para conseguir compreender a origem de suas alucinações e intervir de maneira adequada.

Mas fica a pergunta: se esses estudos fossem conduzidos no Brasil, quais vocês acham que seriam as características e conteúdos dessas vozes alucinatórias?

REFERÊNCIAS

BHATIA et al. Differing correlates for suicide attempts among patients with schizophrenia or schizoaffective disorder in India and USA. Schizophrenia Research, v.86, p.208-214, 2006.

KENT; WAHASS. Coping with Auditory Hallucinations: A Cross-Cultural Comparison Between Western (British) and Non-Western (Saudi Arabian) Patients. Journal of Nervous & Mental Disease, v. 185, p. 664-668, 1997.

KENT; WAHASS. The content and characteristics of auditory hallucinations in Saudi Arabia and the UK: a cross-cultural comparison, Acta Psychiatrica Scandinavica, 2007.

THOMAS et al. Correlates of hallucinations in schizophrenia: A cross-cultural evaluation. Schizophrenia Research, v. 92, p.41-49, 2007.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario

  • Tania Meira Barros

    Acho que ia ser de panico pela situação que muitas pessoas estão enfrentando com a crise economica, provavelmente medo de perder o emprego ou passar fome.